sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Little Joy @ Clash Club

A segunda noite (29-01) que o Little Joy se apresentou estava mais “tranquila” do que na quarta-feira, segundo os funcionários da Clash, já Fabrizio Moretti confessa a plateia: “Ontem foi legal mas hoje é uma festa!”.

Por volta das 21h o Cidadão Instigado, quarteto comandado pelo músico cearense Fernando Catatau subiu para esquentar o palco e conseguiu, todos já estavam a seus postos esperando algo acontecer. O pocket show terminou às 21h30 e dali pra frente os fãs de Little Joy esperaram sofridos 30 minutos (sim, é exagero, mas foi isso que rolou, todos na maior expectativa).

Moretti subiu e atrás dele Rodrigo Amarante apareceu para dividir o microfone começando com a baladinha “Play the Part”, logo Binki Shapiro (extremamente tímida) surge e segue a música com eles, já emendada com “Next Time Around” e os músicos de apoio (Noah Georgeson, guitarra, Matt Romano, bateria e o baixista Todd Dahlhoff) com seus instrumentos.

Moretti, o mais empolgado do trio comenta “essa cidade é maravilhosa”, disse que estava com saudades daqui e que dessa vez veio com sua família para o Brasil. Depois dos agradecimentos de Amarante chega a vez de Shapiro com seu xilofone e sua doce timidez acalmar a plateia com “Unattainable”.

O clima calmo continua com Amarante em “Shoulder to Shoulder” e “With Strangers”, os fãs do hermano se emocionam, assim como ele, que declara “Quero voltar a morar aqui!”.

Shapiro fez jus ao seu nome e proporcionou o momento mais fofo da noite cantando o clássico “Walking back to happiness”, da diva Helen Shapiro. Dando continuidade a sessão cover, Fabrizio alerta “Agora eu vou fazer uma besteira total”, acompanhado da banda, o músico cantou “This Time Tomorrow”, dos Kinks e acaba não mandando tão mal como previu.

A banda finalizou com “Don’t Watch me Dancing”, mal saíram do palco e todos pediram bis. Amarante voltou sozinho e cantou “Evaporar”, recebendo aplausos e elogios e pra alegria geral o resto da banda retorna com “Brand New Start” de despedida.

Em menos de uma hora de show a bandinha de verão conseguiu arrancar muitas risadas dos fãs de Strokes e Los Hermanos e tocar hits que com certeza vão durar mais de uma estação.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Doves


A banda inglesa Doves irá lançar o álbum sucessor de Some Cities (2005) no mês de abril (ainda sem dia definido).

O processo de produção do álbum já está sendo finalizado. O primeiro single deste trabalho será "Kingdom Of Rust", que sai do dia 30 de março.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

The Crying Light - Antony and the Johnsons


Com a ajuda do maestro e compositor Nico Muhly, Antony deixa o drama de lado e faz um trabalho mais límpido, mesmo que com lágrimas.



O álbum antes mesmo de ser ouvido já despertou curiosidade: depois de toda melancolia de seu último disco I’m Bird Now (2005) em que na capa posava a atriz transexual Candy Darling (deitada na mesma cama onde faleceu meses depois), The Crying Light apresenta o artista japonês Kazuo Ohno, ícone do Butô - expressão artística em que a morte do corpo é sua base e as coreografias são feitas em silêncio - ou seja, daí já podemos tirar algumas conclusões (precipitadas mas nem tanto) do que vem a seguir.

Na primeira faixa “Her Eyes Are Underneath the Ground”, Antony lamenta a morte, e como ele próprio chegou a dizer, Antony fala sobre seus pais (no caso dessa faixa sua mãe) e seus relacionamentos como em “Aeon”, única faixa em que a guitarra (infelizmente) aparece, a letra fala sobre os sentimentos do músico: Hold that man / In your tender clutch / Hold that man I love so much (Agarre aquele homem / Num abraço carinhoso / Agarre aquele homem que eu amo tanto). Em “Kiss My Name”, uma das mais animadas do disco, em que a bateria dá um tom jazzístico a música, que remete a sua infância I’m only a child/Born upon a grave/Dancing through the stations/Calling out my name (Eu sou apenas uma criança /Nascido em um túmulo /Dançando através das estações /Chamando o meu nome).

A faixa homônima ao álbum vem acompanhada de um violão clássico com dedilhados impecáveis, sem exagero, o auge desse instrumento diante de todas as canções já gravadas do grupo. Antony quase abusa do falsete, uma das canções mais bem produzidas, que de tanta técnica deixa perder um pouco da emoção.

Em “One Dove”, o piano chora enquanto Antony canta sobre o encontro da paz desejada: “One dove / To bring me some peace / In starlight you came from the other side / To offer me mercy” (Uma pomba / Para me trazer um pouco de paz / Sob a luz das estrelas você veio do outro lado / Para me dar um pouco de paz).

Na sufocante “Another World” (primeiro single do disco, lançado em EP no ano passado), Antony parece ter acabado de sobreviver por não tem se afogado num mar de lágrimas. Mas a calmaria do piano não nos deixa entrar em desespero quando o músico canta que precisa de um lugar onde haja paz (I need another place / Will there be peace / I need another world / This one's nearly gone).

Depois de tomar fôlego chega o momento de glória em “Daylight and the Sun”, quando Antony volta um pouco ao passado com aquela voz a la Billie Holiday e sustenta a música com o piano que parece falar mais alto que tudo enquanto os violinos de Rob Moose ganham o brilho merecido que deixou a desejar no resto do disco.

Esse trabalho mostrou o lado mais clássico do grupo, o disco não fecha o círculo com notas previsíveis como os outros, assim o pop ficou de lado. Antony descobriu e nos contou que não é preciso tanto drama para emocionar.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Epilepsy Is Dancing

Clique aqui para assistir o vídeo de Epilepsy Is Dancing, dirigido pelos irmãos Wachowski (Matrix e Speed Racer), que faz parte do novo disco do Antony and the Johnsons, The Crying Light (resenha em breve aqui) que saiu essa semana (20 de janeiro).

O clipe ainda conta com a participação dos pintores Tino Rodriguez e Virgo Paradiso para ajudarem no figurino e a direção de arte. O vídeo é protagonizado pela atriz Johanna Constantine, parceira artística de Antony Hegarty.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Nickel Eye


Os fãs de Strokes estão musicalmente bem servidos. A banda continua em pausa, mas nesses últimos meses apareceram grandes novidades de alguns integrantes da banda que optaram por projetos paralelos.

Enquanto Albert Hammond Jr. segue carreira solo e Fabrizio Moretti acompanha o Little Joy (que está prestes a chegar no Brasil), o baixista Nikolai Fraiture resolveu transformar antigos poemas seus em música, com uma veia bastante folk. Nickel Eye (nome usado por Nikolai) toca baixo e violão em suas canções que fazem lembrar Leonard Cohen e Neil Young.

O músico está prestes a lançar seu primeiro disco, que sai no dia 26 de janeiro nos EUA, pela gravadora Rykodisc.

O álbum (que o próprio Nikolai produziu) conta com a participação de Nick Zinner, guitarrista do Yeah Yeah Yeahs e da cantora Regina Spektor (que já gravou uma música com os Strokes – “Modern Girls And Old Fashioned Man”).


Ouça músicas de Nickel Eye em seu MySpace

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Radiohead


A gravadora EMI irá relançar três discos do Radiohead com conteúdo extra, como lados B, gravações ao vivo dos discos Pablo Honey (1993), The Bends (1995) e OK Computer (1997) e um DVD.

Esse material chega às lojas na mesma semana (23 de março) que o grupo toca no Brasil. Esta versão inclui faixas lançadas que foram gravadas apenas em EPs e na Radio 1 da BBC.

Já o DVD contém performances ao vivo da banda como a do programa Later With Jools Holland (1997) e o lendário show no Astoria, em Londres (1994).


Além desta edição para colecionadores, serão lançados 12 singles do Radiohead em vinil, entre as que estão no primeiro EP Drill (1992) e outras mais recentes como “2+2=5”. A coletânea em vinil está com data prevista de lançamento para o dia 21 de abril.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Peter Bjorn and John


Os suecos Peter Bjorn and John confirmaram a data de lançamento mundial de seu segundo disco (sucessor de Writer’s Block, 2006), Living Thing chega às lojas no dia 31 de março.

A própria banda produziu o álbum, que também teve a colaboração de do músico Lars Marten.

O trio passou por aqui em 2008, no festival Invasão Sueca.

Abaixo, a tracklist de Living Thing:



01 – “The Feeling’’

02 – “It Don’t Move Me”

03 – “Just the Past”

04 – “Nothing to Worry About”

05 – “I’m Losing My Mind”

06 – “Living Thing”

07 – “I Want You!”

08 – “Lay It Down”

09 – “Stay This Way”

10 – “Blue Period Picasso”

11 – “4 Out of 5”

12 – “Last Night”

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Daniel Hunt


Hoje (16-01) Daniel Hunt, tecladista da banda britânica Ladytron faz um set (bastante parecido com o som do Ladytron, voltado para o electro-rock) na festa Rebel! vs Debut no Vegas Club - São Paulo, às 24h.

Entrada: R$ 30

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Sonic Youth de volta ao mercado independente



De acordo com a revista britânica Uncut, o novo álbum do Sonic Youth sai no mês de junho.

Ainda não existe uma data definida para o trabalho que o grupo intitulou de The Eternal, porém não confirmou que esse será o verdadeiro nome do álbum.

A banda encerrou seu contrato com a Major Music e agora assina com a Matador Records (conhecida por lançar discos de artistas como Cat Power, Belle & Sebastian e Pavement) marcando assim, sua volta ao mercado independente.


quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

The Whitest Boy Alive


O projeto do DJ e produtor norueguês Erland Oye (também do Kings of Convenience) está para lançar o sucessor Dreams (2006). O novo disco, Rules, chega às lojas no dia 03 de março.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Noble Beast - Andrew Bird (2009)


Novo trabalho de Andrew Bird emociona e não deixa a desejar, porém não surpreende em momento algum.

2009 definitivamente começou com ótimos lançamentos de discos. Já no mês de janeiro, mais precisamente no dia 20, Noble Beast chega às lojas. O músico já divulgou algumas músicas em sua página no MySpace e inevitavelmente o disco inteiro já está rodando pela internet. Sorte para os fãs mais ansiosos que aguardavam o lançamento do novo trabalho de Bird desde o antecessor Armchair Apocrypha (2007).

A primeira faixa , Oh No, começa de forma previsível e agradável: assobios e violão são a base desta música, assim como a de Andrew Bird, multiinstrumentista e compositor de Chicago.

Já a segunda faixa, Masterswarm, possui arranjos mais trabalhados e segue acompanhada de um violino que se arrasta até o final da música. Tenuousness parece dar um up, apresentando um folk mais animado e bem humorado, mas logo em seguida chega Nomenclature nos afunda numa linda melodia e dedilhados perfeitos de violão que dá o tom aos vocais melancólicos.

Not a Robot, But a Ghost tem a base mais ritmica no começo e no meio da música ela vai decaindo com pequenos toques de xilofone (que nos faz lembrar os discos anteriores) e violinos, que realmente é a sua maior aposta nesse trabalho – em quase todas as músicas Andrew Bird usa e abusa do violino, dando um pequeno diferencial de suas obras anteriores.

Resumindo, Noble Beast é um disco completo e com certeza esse trabalho enobrece a cena indie folk (que está em alta), porém não surpreende em momento algum. Bird apenas deu seqüência para aquilo que sabe fazer de melhor: folk como ninguém.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Javelins


A banda indie rock de Detroit adicionou hoje novas músicas em seu MySpace. Clique aqui para escutar.