segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Skol Beats


A semana de espera para o Skol Beats foi tensa. O clima nublado e a chuva não deixaram ninguém em paz. Mas finalmente chegou sábado e sim, parou de chover!

A primeira atração da noite foi a dupla paulistana Killer on the Dance Floor, que animou o público que ia chegando com o melhor do maximal, e provando que a música eletrônica pode unir os mais variados estilos: versões de Nirvana, Rage Against the Machine e Gwen Stefani num só palco!

Logo, o Montage agitou com muito electro e glamour. Daniel Peixoto deu um show a parte com suas performances arrasadoras.

O palco principal lotou mesmo quando Iggor Cavalera e Laima Leyton chegaram e fizeram sets pesadíssimos, com direito até a bateria. O show do Mixhell foi uma das atrações nacionais mais surpreendentes da noite.

Quando o show do Mixhell acabou ninguém teve coragem de sequer, sair do lugar, pois o Justice estava por vir. Sem atrasos, logo pudemos ver as silhuetas da dupla atrás de um pano escuro. Gênesis abriu o show com força total. O público animado ganhou uma apresentação recheada de hits, como DVNO, o remix de Never be Alone, que foi o ponto alto, onde eles se soltaram mais com a platéia que já estava enlouquecida, além de Stress, um trecho de The Party, e é claro, D.A.N.C.E.

Mais tarde, os alemães do Digitalism subiram ao palco, com um certo atraso, mas que compensou. Um show cheio de energia, som impecável e hits como Idealistc e Jupiter Room agitaram ainda mais a noite. O único erro talvez tenha sido de terem tocado depois de Justice, pois às 03h30 em diante o público já não estava naquela animação. Mas a apresentação não deixou a desejar em nenhum aspecto.

O festival foi tranqüilo, a organização estava ok, o tempo ajudou e, mesmo com um dia apenas de festa, as “poucas” atrações que se apresentaram esse ano, conseguiram dar conta do recado.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Morrissey e Johnny Marr criam nova coletânea

Morrisey, líder da extinta banda oitentista The Smiths se reuniu com seu ex-parceiro de banda, o guitarrista Johnny Marr para selecionar as melhores faixas do grupo para uma nova coletânea.

The Sound Of The Smiths - título escolhido por Morrissey, é um disco duplo, masterizado sobre a supervisão de Marr. O primeiro disco conta com 23 faixas, entre singles e músicas que deveriam ter se tornado single logo no começo da carreira. O segundo disco, com 22 faixas, contém raridades, lados B e versões ao vivo.

Abaixo, a lista completa de The Sound of the Smiths:

Disco 1:

Hand In Glove
This Charming Man
What Difference Does It Make? (John Peel Session)
Still Ill
Heaven Knows I'm Miserable Now
William, It Was Really Nothing
How Soon Is Now? (versão do lançamento em vinil)
Nowhere Fast
Shakespeare's Sister
Barbarism Begins At Home (versão do lançamento em vinil)
That Joke Isn't Funny Anymore
The Headmaster Ritual
The Boy With The Thorn In His Side
Bigmouth Strikes Again
There Is A Light That Never Goes Out
Panic
Ask
You Just Haven't Earned It Yet, Baby
Shoplifters of the World Unite
Sheila Take a Bow
Girlfriend in a Coma
I Started Something I Couldn't Finish
Last Night I Dreamt That Somebody Loved Me

Disco 2:

Jeane
Handsome Devil (ao vivo)
This Charming Man
Wonderful Woman
Back To The Old House
These Things Take Time
Girl Afraid
Please, Please, Please Let Me Get What I Want
Stretch Out And Wait
Oscillate Wildly
Meat Is Murder (ao vivo)
Asleep
Money Changes Everything
The Queen Is Dead
Vicar In A Tutu
Cemetry Gates
Half A Person
Sweet And Tender Hooligan
Pretty Girls Make Graves (Troy Tate Demo)
Stop me If You Think You've Heard This One
Before
What's The World? (ao vivo)
London (ao vivo)


Atualmente Morrissey segue carreira solo, seu último disco foi Ringleader of the Tormentors, de 2006. Marr é guitarrista da banda Modest Mouse, que lançou seu último disco no ano passado, o We Were Dead Before the Ship Even Sank.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Little Joy lança músicas no Myspace

Little Joy, o mais novo projeto composto por Fabrízio Moretti, dos Strokes, sua namorada Binki Shapino e Rodrigo Amarante, do Los Hermanos (que está em hiato desde o ano passado), disponibilizou três novas faixas: "No One's Better Sake", "Brand New Start" e "With Strangers" em sua página no Myspace.
O lançamento do disco do trio será no dia 4 de novembro nos Estados Unidos. Não há previsão de lançamento no Brasil, por enquanto.

Nico é homenageada em Londres

O músico John Cale, ex-companheiro da cantora alemã Nico, convidou alguns músicos para um show em homenagem à ex-Velvet Underground, que faleceu há 20 anos.

Já estão confirmadas a presença dos músicos Mark Lanegan (ex-Screaming Trees), Peter Murphy (Bauhaus), Nick Franglen (Lemon Jelly) e James Dean Bradfield (Maniac Street Preachers). Porém o line-up continua aberto, mais algumas bandas estarão agendadas até o show, que acontece no dia 11 de outubro no Royal Albert, em Londres.


Nico era viciada em heroína e morreu na Espanha, de hemorragia cerebral. A cantora completaria 70 anos no próximo dia 16 de outubro.

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

As Favoritas de Vivienne Westwood

A estilista inglesa Vivienne Westwood lançou uma coletânea com suas 16 músicas favoritas, informou a Vogue britânica.

No disco, lançado pela gravadora, Mercury Records, há músicas que variam de Tchaikovsky à New York Dolls. Além da seleção, Vivienne também fez a arte do encarte do disco, intitulado Catwalk Breakdown, que não foi lançado aqui no Brasil.

Vivienne Westwood ficou conhecida por ter sido esposa de Malcom McLaren, empresário da banda inglesa Sex Pistols. A estilista criou o "figurino punk" da banda, que logo se popularizou pelo mundo.

Confira abaixo as faixas de Catwalk Breakdown:

Magazine - Permafrost
Rodrigo - Concierto de Aranquez/Vivienne Westwood's Intro
Luca Mainardi - Barock
Dirty Stop Out - Cave Girl
Pierne - L'ecole des Aegipans
Pierne - La Lecon De Flute De Pan
Prokofieff - Dance Of The Knights
Billy Fury - Last Night Was Made For Love
Offenbach - Valse Lento
Tchaikovsky - Sugar Plum Fairy
Tchaikovsky - Coda
Link Wray - Georgia Pines
Tchaikovsky - Waltz Of The Flowers
New York Dolls - Personality Crises
Mae West - Great Balls Of Fire
Larry Williams - Slow Down

Antony and the Jonhsons lança novo EP


O grupo nova-iorquino liderado por Antony Hegarty acaba de lançar um EP (foto) com uma prévia do terceiro disco de Antony and the Jonhsons.

Another World é o nome deste novo trabalho, que será lançado no começo de outubro pela Secretly Canadian na América do Norte e pela Rough Trade Records na Europa. Ainda não há cópias on-line legais disponíveis para download.

O grupo possui outros dois discos de estúdio: Antony and the Johnsons (2000) e I'm Bird Now (2005), além de outros EPs. O terceiro disco The Crying Light está com o lançamento previsto para o início de 2009.

Confira o nome das faixas de Another World:

Another World
Crackagen
Shake That Devil
Sing for Me
Hope Moutain

domingo, 21 de setembro de 2008

Joanna Newsom

Comecei a escutar Joanna Newsom há cerca de um mês apenas, por isso não vou indicar um disco específico. Certa vez fiz uma resenha do segundo álbum das Cocorosie, Noah's Ark (2004) e me lembro muito bem de ter afirmado que as duas irmãs eram incomparáveis, não havia nada igual. Ainda continuo acreditando nesta afirmação, mesmo que logo depois de ter escrito isso, alguns amigos vieram me indicar Joanna Newsom. Demorei para escutar porque não queria acabar com aquela magia de que "não há música que se compare com as irmãs Casady". Pois bem, há sim, admito.

A cantora, compositora e musisista tem um traço singular. Ao contrário das Cocorosie (temo ficar comparando Newsom eternamente à elas), que parecem apenas estar brincando com os instrumentos, Newsom toca harpa incrivelmente bem, além de piano. Suas composições são simples, combinando com sua voz exageradamente soprana. A música que me emocionou logo de cara foi Peach, Plum, Plear, do disco The Milk-Eyed Mender (2004).Gemidos, folk, serenidade e crianças. Absolutamente doce. Mas a verdade é que fica difícil dizer se há uma faixa ruim. Além do disco citado acima, Newsom gravou Ys (2006) e mais uma série de EPs.
Pra quem ficou preso ao disco La Manson de Mon Revê (primeiro trabalho das Cocorosie), que seguia mais fielmente a linha freak folk, certamente irá se surpreender com Joanna Newsom.

domingo, 14 de setembro de 2008

Original soundtrack - I'm Not There



Melhor do que uma trilha sonora perfeita, é uma trilha sonora feita por bandas de altíssimo nível, tocando versões de clássicos de Bob Dylan. A trilha sonora original do filme I'm Not There (2007) é dividida em dois discos. Não posso dizer qual a melhor música, mas a versão de Knocki'n On Heaven's Door by Antony and the Johnsons foi a melhor das ínumeras versões que já escutei dessa música.
Confira quais são os artistas e as faixas:

Disco 1:


1. Eddie Vedder and the Million Dollar Bashers: "All Along the Watchtower"

2. Sonic Youth: "I'm Not There"

3. Jim James and Calexico: "Goin' to Acapulco"

4. Richie Havens: "Tombstone Blues"

5. Stephen Malkmus and the Million Dollar Bashers: "Ballad of a Thin Man"

6. Cat Power: "Stuck Inside of Mobile With the Memphis Blues Again"

7. John Doe: "Pressing On"

8. Yo La Tengo: "Fourth Time Around"

9. Iron and Wine and Calexico: "Dark Eyes"

10. Karen O and the Million Dollar Bashers: "Highway 61 Revisited"

11. Roger McGuinn and Calexico: "One More Cup of Coffee"

12. Mason Jennings: "The Lonesome Death of Hattie Carroll"

13. Los Lobos: "Billy"

14. Jeff Tweedy: "Simple Twist of Fate"

15. Mark Lanegan: "The Man in the Long Black Coat"

16. Willie Nelson and Calexico: "Señor (Tales of Yankee Power)"


Disco 2:


1. Mira Billotte: "As I Went Out One Morning"

2. Stephen Malkmus and Lee Ranaldo: "Can't Leave Her Behind"

3. Sufjan Stevens: "Ring Them Bells"

4. Charlotte Gainsbourg and Calexico: "Just Like a Woman"

5. Jack Johnson: "Mama You've Been on My Mind"

6. Yo La Tengo: "I Wanna Be Your Lover"

7. Glen Hansard and Marketa Irglova: "You Ain't Goin' Nowhere"

8. The Hold Steady: "Can You Please Crawl Out Your Window"

9. Ramblin' Jack Elliott: "Just Like Tom Thumb's Blues"

10. The Black Keys: "Wicked Messenger"

11. Tom Verlaine and the Million Dollar Bashers: "Cold Irons Bound"

12. Mason Jennings: "The Times They Are a-Changin'"

13. Stephen Malkmus and the Million Dollar Bashers: "Maggie's Farm"

14. Marcus Carl Franklin: "When the Ship Comes In"

15. Bob Forrest: "Moonshiner"

16. John Doe: "I Dreamed I Saw St. Augustine"

17. Antony and the Johnsons: "Knockin' on Heaven's Door"

18. Bob Dylan: "I'm Not There"

Chris Garneau - Music for Tourists


Disco de 2007 do músico americano Chris Garneau. Melodias suaves, limpas, pianos doces e violinos arrastados. Ideal para ouvir num dia ensolarado de outono ou acompanhado de um bom livro e uma xícara de chá.

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Shout Out Louds - Our Ill Wills




Disco mais recente (2007) da banda sueca que, por sinal, está com data marcada para tocar em terras brasileiras (São Paulo, Recife e Curitiba) em setembro, no festival Invasão Sueca, ao lado do trio Peter Bjorn and John.

Tentando fugir ao máximo de gêneros irrelevantes para classificá-los, devo dizer que o Shout Out Louds é uma banda indie com uma veia pop, bastante pop.

As melodias pegajosas soam perfeitamente com as letras melancólicas. Arranjos bem produzidos de teclado e acordeon justificam de forma nobre a dose de “açúcar” da banda, deixando claro que eles sabem muito bem o que estão fazendo.

Pra quem não tem medo de se jogar no pop, fica aqui a sugestão das duas primeiras músicas que me deixaram curiosa em conhecer a banda mais a fundo: Impossible, que conta com a voz feminina de Bebban Stenborg, e uma linda base de xilofone, e Tonight I Have to Leave It é ideal para escutar quando você está de saco cheio de tudo e resolve sair para dançar. E parece que foi isso mesmo o que eles pensaram, pois há um EP com a versão remixada da música, que leva o mesmo nome.

Our Ill Wills é um disco completo, porque mesmo que o que mais chame atenção sejam as melodias que acabam grudando na cabeça, eles são ótimos músicos e conseguem dar conta do recado.

Recomendável para os que gostam de ouvir seus sentimentos expressos na música, fãs de vocais femininos e bandas indies suecas.

Shout Out Louds está na ativa desde 2001. A banda possui outro álbum Howl Howl Gaff Gaff que foi lançado em versão escandinava em 2003 e lançado mundialmente em 2005, além dos EPs 100° EP (2003), Oh Sweetheart (2004), Very Loud (2004) e The Combines (2006).