segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Dark Was the Night

De acordo com o jornal The Guardian, algumas das bandas mais importantes da cena musical alternativa irão gravar um disco duplo (Dark Was the Night) beneficente, ajudando a instituição de pesquisa de combate a Aids, a Red Hot.

O álbum chega às lojas no dia 17 de fevereiro. A produção do álbum é de Bryce e Aaron Dessner, do The National . O grupo grava a faixa So Far Around the Bend também. Nomes como Andrew Bird (foto), Cat Power, Blonde Redhead, Yo La Tengo, Arcade Fire e Iron & Wine também fazem parte deste projeto. Abaixo, você confere a track-list completa do disco:


Disco 1:

Knotty Pine - Dirty Projectors e David Byrne
Cello Song - The Books e Jose Gonzalez
Train Song - Feist e Ben Gibbard
Deep Blue Sea - Grizzly Bear
So Far Around the Bend - The National
Tightrope - Yeasayer
Feeling Good - My Brightest Diamond
Dark Was the Night - The Kronos Quartet
I Was Young When I Left Home - Antony e Bryce Dessner
Big Red Machine - Bon Iver e Aaron Dessner
Sleepless - The Decemberists
Die - Iron & WineService Bell - Grizzly Bear e Feist
Blood - Sufjan Stevens

Disco 2:

Well-Alright - Spoon
Lenin - Arcade Fire
Mimizan - Beirut
El Caporal - My Morning Jacket
Inspiration Information - Sharon Jones & The Dap-Kings
With a Girl Like You - Dave Sitek
Blood Pt. 2 - Buck 65 remix com Sufjan Stevens e Serengeti
Hey, Snow White - The New Pornographers
Gentle Hour - Yo La Tengo
Another Saturday - Stuart Murdoch
Happiness - Riceboy Sleeps
Amazing Grace - Cat Power
The Giant of Illinois - Andrew Bird
Lua - Conor Oberst e Gillian Welch
When the Road Runs Out - Blonde Redhead e Devestations
Love vs. Porn - Kevin Drew

sábado, 20 de dezembro de 2008

Kraftwerk


Agora ficou fácil decidir entre Radiohead e B-52's: de acordo com o site oficial do Radiohead, o Kraftwerk irá abrir os shows da banda pela América Latina!!!

Yeah Yeah Yeahs


O trio nova-iorquino postou em seu MySpace uma musiquinha de Natal. Clique aqui para escutar All I Want for Christmas.

Hot Chip


O grupo britânico lançou um EP com 4 versões do último álbum Made in the Dark (2008). Três delas têm a participação de Robert Wyatt, ex-Soft Machine, e a outra conta com a participação do duo eletrônico Geese.

Hot Chip With Robert Wyatt And Geese vai para as lojas da Inglaterra no dia 22 de dezembro. A primeira faixa, We´re Looking For A Lot Of Love, já está disponível para download gratuito no site oficial da banda

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Starfucker


A banda electro indie de Portland lançou hoje três novos videos em seu MySpace: isabella of castile, German Love e Pop Song.

Clique aqui para conferir a novidade deste grupo que também lançou seu primeiro disco (homônimo) este ano e é de longe um dos melhores de 2008.

Procura-se

Saudades, Meg.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

DeVotchka


DeVotchka é a minha primeira banda de 2009. Eu sei que o ano ainda não acabou, mas o disco Transliterator estréia nos EUA dia 3 de janeiro. Escutei algumas músicas do novo trabalho no MySpace deles e gostei logo de cara. O instrumental está bastante rico, recheado de arranjos de violino, piano e acordeon, mas ainda acessível para os amantes do indie pop: notas previsíveis e levemente pegajosas.

sábado, 13 de dezembro de 2008

O melhor de 2008


Desde janeiro, quando Blind começou a tocar nas pistas já tinha idéia do que esperar do coletivo nova-iorquino liderado pelo DJ Andy Butler. Quando pude ouvir o disco inteiro do Hercules and Love Affair, já quis logo dizer que era o melhor álbum do ano. Na verdade não acho que me precipitei na minha decisão. Ouvi muitas novidades esse ano, mas nada que superasse o impacto do Hercules.

Um dos motivos da minha escolha poderia ter um cunho muito pessoal já que sou fanática pelo Antony Hegarty. Mas não. Este trabalho me mostrou que a música pós-moderna pode ser boa, quando ela não é simplesmente uma cópia mal feita de tudo o que os integrantes do grupo gostam. Andy Butler e sua trupe desestruturaram a disco music para um bem maior, além de usar fragmentos do house e da dance music, inseriram o hip hop old school e a new soul (tanto no background como na voz da Naomi), além de rechear músicas como Raise me Up e Blind com trompetes, ou seja, todos os gêneros que já estavam sendo considerados esquecidos ou fora de moda tiveram sua vez nesta montagem sensacional e de muito bom gosto.



Outros bons discos de 2008:

Made in the dark - Hot Chip
Oracular Spectacular - MGMT
Skeletal Lamping - Of Montreal
Friendly Fires – Friendly Fires
Little Joy - Little Joy




Radiohead ou B-52's?



Agora ficou difícil escolher que show irei no dia 22 de março. O jeito é passar no Rio dia 20 pra assistir Radiohead e correr pra São Paulo. Espero estar mais rica em 2009...

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Resenha

Little Joy - Little Joy (2008)

Novo projeto de Rodrigo Amarante e Fabrízio Moretti apresenta repertório de músicas recheada de violões e belas melodias


A banda formada por Rodrigo Amarante (Los Hermanos), Fabrízio Moretti (The Strokes) e sua namorada Binki Shapiro lançou recentemente (novembro) seu primeiro disco, homônimo à banda, nos EUA. Na mesma semana em que Little Joy foi às lojas, o trio disponibilizou o disco inteiro em seu MySpace para quem quisesse conferir as músicas.

O álbum foi gravado na Califórnia – onde Amarante conheceu Moretti após ter feito uma participação do novo disco de Devendra Banhart (Smokey Rolls Down Thunder Canyon).Pode-se dizer que não há nada de muito novo, porém o trabalho é de muito bom gosto.

Um ar praiano e sessentista prevalece em todas as faixas do disco. Violões quase que havaianos e o backing-vocal suave de Shapiro fazem de “The Next Time Around” a trilha sonora ideal para uma viagem de verão. E é nesse clima que o Little Joy nos faz entrar a cada música.

O interessante é a interação dos três: todos cantam e tocam como se fosse uma simples jam session, tudo parece ser feito de improviso tamanha a espontaneidade que o som nos passa. “Brand New Start” mostra a guitarra de Amarante, arrastada como sua voz. Todas as músicas seguem praticamente a mesma linha, a mais recheada de arranjos e instrumentos (teclados e metais) é “No One’s Better Sake”, o restante leva um ar mais acústico.

O disco nos faz rever alguns conceitos e lembrar que música simples também pode ser sinônimo de boa música.