segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Skol Beats


A semana de espera para o Skol Beats foi tensa. O clima nublado e a chuva não deixaram ninguém em paz. Mas finalmente chegou sábado e sim, parou de chover!

A primeira atração da noite foi a dupla paulistana Killer on the Dance Floor, que animou o público que ia chegando com o melhor do maximal, e provando que a música eletrônica pode unir os mais variados estilos: versões de Nirvana, Rage Against the Machine e Gwen Stefani num só palco!

Logo, o Montage agitou com muito electro e glamour. Daniel Peixoto deu um show a parte com suas performances arrasadoras.

O palco principal lotou mesmo quando Iggor Cavalera e Laima Leyton chegaram e fizeram sets pesadíssimos, com direito até a bateria. O show do Mixhell foi uma das atrações nacionais mais surpreendentes da noite.

Quando o show do Mixhell acabou ninguém teve coragem de sequer, sair do lugar, pois o Justice estava por vir. Sem atrasos, logo pudemos ver as silhuetas da dupla atrás de um pano escuro. Gênesis abriu o show com força total. O público animado ganhou uma apresentação recheada de hits, como DVNO, o remix de Never be Alone, que foi o ponto alto, onde eles se soltaram mais com a platéia que já estava enlouquecida, além de Stress, um trecho de The Party, e é claro, D.A.N.C.E.

Mais tarde, os alemães do Digitalism subiram ao palco, com um certo atraso, mas que compensou. Um show cheio de energia, som impecável e hits como Idealistc e Jupiter Room agitaram ainda mais a noite. O único erro talvez tenha sido de terem tocado depois de Justice, pois às 03h30 em diante o público já não estava naquela animação. Mas a apresentação não deixou a desejar em nenhum aspecto.

O festival foi tranqüilo, a organização estava ok, o tempo ajudou e, mesmo com um dia apenas de festa, as “poucas” atrações que se apresentaram esse ano, conseguiram dar conta do recado.

Nenhum comentário: